-->
Contato    Equipe    O site   

Entrevista: Epica - Mark Jansen




Entrevista por: Daniela Godinho
Tradução Português/Inglês por: Natália Superbi



A entrevista desta semana é muito especial para mim, pois tive a oportunidade de entrevistar a principal banda do metal sinfônico na atualidade, e também a minha banda preferida: EPICA. A banda retornará em março de 2018, para um série de oito shows pelo Brasil, parte da turnê latino americana de divulgação de seus últimos trabalhos, o álbum The Holographic Principle de 2016, e o EP The Solace System de 2017. Atualmente a banda Epica é formada por: Simone Simons (mezzo-soprano), Mark Jansen (guturais e guitarra base), Coen Janssen (teclado e piano), Ariën van Weesenbeek (bateria), Isaac Dalahaye (guitarra solo) e Rob Van der Loo (baixo). A seguir você confere uma entrevista exclusiva com o  Mark Jansen, fundador da banda, onde ele fala sobre sua saída do After Forever, os 10 anos do álbum The Divine Conspiracy, os shows que realizarão no Brasil e muito mais: 


EC - Primeiramente gostaria de lhe agradecer por ter aceitado realizar a entrevista para o Elegia e Canto. Eu fico imensamente feliz por essa oportunidade, pois foi graças ao Epica, que eu comecei a ouvir metal em 2007. Se hoje o metal se tornou algo tão importante na minha vida, devo isso a vocês. Mark Jansen, a sua música muda vidas, muito obrigada!
Bem vamos lá, quando você decidiu sair do After Forever, deve ter sido uma decisão difícil, certo? O início de um novo projeto sempre é incerto. Você imaginou que conseguiria formar uma das bandas mais importantes no meio do metal sinfônico? Afinal, hoje vocês são fonte de inspiração para muitas bandas que surgiram nos últimos anos, como você vê essa trajetória do Epica? 
Mark Jansen: Muito obrigado! :) Sair do After Forever não  foi  decisão  só  minha. Não havia como continuar. Se dependesse de mim, eu teria deixado a banda depois da próxima turnê do Nightwish, depois do famoso festival Pinkpop e depois de uma aparição na TV nacional holandesa. Mas as coisas já não estavam funcionando mais entre mim e Sander naquela época, infelizmente. Eu fundei o Epica no mesmo dia em que sai do After Forever e no começo foi difícil, mas, ao olhar para trás, agora, vejo que foi o melhor que poderia ter me acontecido. Estou feliz e orgulhoso que o Epica e também o After Forever têm inspirado muitas outras bandas.
            
EC – O ano de 2017 é muito especial para todos os fãs, pois o álbum The Divine Conspiracy, completa 10 anos de lançamento, e apesar do tempo suas letras estão cada vez mais atuais. Como surgiu a ideia de fazer um álbum conceitual como o The Divine Conspiracy? 
Mark: Na verdade não chega a ser um álbum conceitual, mas um álbum com um conceito nele. Algumas letras fogem ao assunto. Esse álbum, sem dúvida, me marcou muito; as músicas são intensas. Foi o último álbum que fizemos com Ad Sluijter e, na minha opinião, ele estava no seu auge.

Foto Promocional do álbum The Holographic Principle 2016 
EC– As letras do Epica são marcadas por temas profundos que fazem pensarmos em nossa sociedade, como a política, filosofia e religião. Destaco uma das músicas mais queridas da banda pelo público a Consign to Oblivion, nela você fala sobre uma religiosidade natural: “We shouldn't try to control life / But listen to laws the of nature”, esse é um conceito muito amplo e discutido, qual a sua relação com a religião/ ou religiosidades? E para você qual a importância da banda tratar de temas, muitas vezes, “polêmicos” em suas letras?
Mark: Eu acredito que todas as religiões falam sobre a mesma coisa. No entanto, muitas falas nos livros sagrados são multi-interpretáveis e tenho a impressão de que estão mesmo sendo mal interpretados. Tenho pouca ou nenhuma ligação com a forma como as religiões estão organizadas hoje. Justamente porque tudo está literalmente conectado, não conseguimos ver as religiões como coisas separadas. É tudo a mesma coisa. Todo mundo está procurando o mesmo, no fim das contas.

EC –  Design your Universe é a minha música preferida de todos os tempos! Tanto que fiz questão que ela tocasse na minha cerimônia de formatura na universidade, imagine um auditório cheio de pais, avós e professores ouvindo os seus guturais, foi muito emocionante. Um dos meus sonhos é ouvir ela ao vivo. A ideia de construirmos o nosso próprio universo é sensacional, como surgiu a inspiração para essa música? 
Mark: Estamos criando nosso universo todos os dias. Todos nós somos como uma mente coletiva. Se quisermos mudar alguma coisa, precisamos começar por dentro de nós mesmos. Eu vejo muita gente culpando as outras pessoas ou situações pelos seus infortúnios. Mas, quando você não está feliz com sua vida, é só você mesmo quem tem a chave para mudar isso. 

EC – As músicas do EP The Solace System foram escritas no mesmo momento de gravação do álbum The Holographic Principle, certo? Você poderia falar um pouco sobre o conceito destes trabalhos e o processo de criação?
Mark: Sim, todas foram escritas ao mesmo tempo e não sabíamos quais músicas entrariam no álbum e quais entrariam no EP. Fight your Demons fala sobre pensamentos destrutivos/negativos com que temos de lidar de vez em quando ou para pessoas que sofrem de depressão, todos os dias.

EC – Em 2016, nós brasileiros tivemos o privilegio de receber a primeira edição do Epic Metal Fest fora da Holanda. Porque a escolha de realizar aquela edição do Brasil? E como foi essa experiência?

Mark: Pensamos que o Brasil seria uma boa escolha uma vez que os fãs brasileiros são sempre muito receptivos com a gente. E deu certo. Espero podermos realizar outra edição no futuro.

Cartaz da turnê latino americana 2018
EC – Vocês retornam ao Brasil em março de 2018, como parte da The Ultimate Principle, Sul Americana, realizada pela produtora Liberationmc. Está será a maior turnê realizada pelo Epica no país, vocês irão passar em oito cidades, e afirmo que a euforia e felicidade do público, com o anúncio desta turnê não poderia ser maior. Quais as expectativas para essa grande turnê pelo Brasil? E para as cidades de Manaus, Fortaleza e Recife serão a primeiro show da banda, os fãs podem esperar alguma surpresa no setlist? 
Mark: Nós ainda não fizemos o setlist, mas podem ter certeza de que haverá surpresas. Vamos ver também o que as pessoas querem ouvir. Vou ouvir atentamente as sugestões nos próximos meses.

EC – Há semanas estávamos acompanhando através das redes sociais vocês trabalhando em um projeto secreto, e surpreendendo os fãs mais uma vez, vocês anunciaram o lançamento do EP Attack of Titans, com versões das canções de abertura do anime Shingeki no Kyojin. Isso foi algo que realmente os fãs nunca poderíamos imaginar, como ocorreu a ideia deste projeto? E o que os fãs podem esperar deste novo EP?
Mark: Gravamos quatro músicas da série e fizemos as versões do Epica dessas músicas. Gravamos as faixas da mesma maneira que gravamos nosso último álbum, com orquestra. Nós fomos convidados para participar do projeto e aceitamos com prazer porque era um grande desafio e o resultado ficou ótimo. Primeiro será lançado no Japão e mais tarde também em outras partes do mundo.

EC – Novamente gostaria de lhe agradecer por ter aceitado realizar a entrevista. Você poderia deixar uma mensagem para os nossos leitores e fãs do Epica aqui do Brasil?  
Mark: Muito obrigado por todo o apoio de todos os nossos fãs brasileiros. Em breve estaremos aí. Que comece a festa! :)


1 Comentario "Entrevista: Epica - Mark Jansen "

  1. Otima, entrevista, melhor ainda pela entrevistadora ter mencionado a minha canção favorita: Design your universe.

    ResponderExcluir

O texto representa a opinião do autor e não a opinião do elegiaecanto.com ou de seus editores

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Próximos Eventos

PARCEIROS


       

Seguidores

EC NO FACEBOOK