-->
Contato    Equipe    O site   

Entrevista: Alkonost (Russia)


A entrevista de hoje é com uma das melhores bandas de Pagan/Folk Metal da atualidade: Alkonost. Agradeço desde já a atenção da banda com nosso site, respondendo às nossas perguntas em meio a tantos shows que estão sendo realizados. Para responder nossas perguntas, Andrew e Dmitry deram algumas palavras para o site. Confiram!


EC: Sem dúvidas, Alkonost é agora uma das maiores bandas de Pagan/Folk Metal. Vocês imaginavam, a princípio, serem reconhecidos internacionalmente como são hoje?
Andrew: Claro, nós queríamos ser conhecidos, porque é uma ótima oportunidade ser ouvido em muitos países. Não pensávamos que isso iria acontecer com a gente. Ficamos surpresos que nossa música se espalhou ainda mais longe do que apenas na Europa.
Dmitry: Concordo com o Andrew, mas o fato de que tudo aconteceu dessa forma nos dá força e muitas idéias novas na nossa criação. Isso nos dá um incentivo.


EC: A voz feminina está cada vez mais presente em bandas do gênero, como Masha, do Arkona. Ksenya Pobojanskaya tem mostrado grande talento também. Quando foi decidido que ela deveria fazer parte da banda?
Andrew: Pelevina Alena (que foi nossa vocalista desde 2002) deixou a banda e Ksenia veio para substituí-la. Agora Alena tem uma família e não tem a oportunidade de sair em turnê com a gente, mas às vezes ainda trabalhamos juntos, por exemplo, no estúdio. Nós já conhecíamos Ksenia pelo fato de trabalhar em projetos paralelos e gostávamos do seu vocal e seu trabalho no palco, portanto ela se parece com uma estrela do rock de verdade. O novo vocalista e baixista Max Shtanke também mostra grandes esperanças, ele tem experiência em vários instrumentos musicais e também tem alguma experiência de palco já que ele tem seus próprios projetos envolvendo metal.

EC: Quais foram as principais dificuldades no início da banda? Locais onde ensaiar, instrumentos ...
Andrew: Quando começamos, tínhamos apenas dois violões, e ensaiávamos em casas. Com o tempo, conseguimos tudo que precisávamos. A principal dificuldade dos grupos iniciantes é material musical. Nem todos têm material original e interessante. O resto vem algum dia.
Dmitry: local de ensaio, instrumentos musicais, etc - este não é um problema tão grande do grupo iniciante, os jovens têm problemas porque eles não ganham dinheiro suficiente ainda, e então não podem comprar tudo. O problema real começa quando os músicos tentam encontrar o caminho original de sua música, porque eles não deveriam imitar os seus artistas favoritos. Depois disso, vem o momento em que você deve encontrar o músico e pessoas que irão apoiá-lo e não irão te puxar para baixo no abismo.

EC: Suas músicas são notáveis, e muito bem trabalhadas ... quais foram as inspirações para compor e criar as melodias?
Andrew: Somos inspirados por tudo: a visão de filmes históricos, visitando glória militar, saindo na natureza, florestas e campos. A música vem a mim pessoalmente, quando eu vejo algum evento místico em algumas coisas. Eu gosto quando a música apresenta algum mistério. Isso faz a música se tornar mágica.

EC: Quais são as bandas que influenciam o trabalho de vocês?
Andrew: Sim, provavelmente muitas de muitas bandas bem conhecidas. Eu acho que é AC/DC, Iron Maiden, Dead Can Dance ... Eles nos inspiram a fazer o show no palco, e posso dizer a vocês que temos uma performance brilhante. Mas no coração da nossa música está a música da Rússia antiga que, mesmo em nosso país, não é tão bem conhecida. O interesse em música folk na Rússia só agora começa a despertar.

EC: Como é a relação entre as bandas de seu gênero na Europa? Vocês tem contato, participam de projetos de outras bandas da Rússia e de outros países?
Andrew: Nós temos uma boa amizade. Na verdade, acho que esse tipo de relacionamento deveria ser para todos.
Dmitry: Com bandas européias nós apenas nos comunicamos, não temos projetos de música com eles ainda. Falando sobre bandas russas, temos um monte de amigos, e às vezes tomamos parte na gravação dos álbuns um do outro. E nos nossos últimos álbuns você pode ouvir as vozes de cantores das bandas Arkona, Rarog, Svarga.

EC: O estilo Folk, Pagan, Viking Metal e outros, têm cada vez mais impacto no Brasil, e Alkonost é uma das bandas que se tornou popular entre os brasileiros. Como é a sensação de ver sua música bem conhecida aqui do outro lado do planeta?
Andrew: Isto é inesperado em certa medida, mas muito agradável. Só vimos o Brasil nos mapas e nos filmes da BBC. Então, isso parece algo fantástico para nós.
Dmitry: Eu gostaria de acrescentar que desejo ir para o Brasil com o nosso show. Então agite seus promotores, e um dia você vai ver e ouvir-nos em tempo real.

EC: A banda tem alguma previsão de turnês nas Américas?
Dmitry: Ainda não. América está muito longe de nós, e é muito difícil traçar planos de concertos tão distantes. Mas esperamos que com o lançamento do nosso novo álbum, vamos assinar com bons Bookers e eles poderão resolver o problema.

EC: A banda passou por reformulações e alguns músicos saíram. Até onde essas mudanças têm afetado a banda?
Andrew: Nós nos tornamos mais tolerantes, mais responsáveis e mais funcionais. Agora, qualquer tour, temos 100% . E também um novo material é original por causa da experiência com algumas atualizações no som. E, claro, o novo show. É possível que introduzamos novos elementos.
Dmitry: A frase "alguns músicos deixaram a banda" não é muito correta. Eles só decidiram escolher sua vida pessoal, trabalho, família, etc ... E tornou-se muito difícil ensaiar, ir aos shows, mas ainda trabalhamos juntos no estúdio, durante a gravação de álbuns.

EC: Depois de todos esses anos, é possível dizer que Alkonost chegou onde queria, ou vocês ainda tem mais projetos a serem implementados?
Andrew: Temos muito mais a dizer e mostrar. Nós ainda gostamos de crianças que precisam crescer e se desenvolver. Temos uma grande quantidade de material, que por algum motivo não foi incluído em qualquer álbum (nosso). Estamos prontos para mostrar, e não hesitar em iniciar nossa existência novamente, só porque é o nosso futuro e deveria ser implementado.
Dmitry: Nossa principal conquista ainda está por vir, tenho certeza disso. Ainda temos vários planos para o futuro, e agora estamos ocupados com ele. São os concertos, novos álbuns, vídeos etc.

EC: Bem, foi um grande prazer entrevistá-los. Mais uma vez, obrigado por sua atenção com o nosso site. Gostaria que vocês deixassem uma mensagem para os fãs do Brasil e de outros países que acabam de aprender mais sobre a banda aqui no Elegia e Canto.
Andrew: Amigos! Saudações da Rússia! Juntem-se a nós e juntos vamos conquistar a distância e tempo! E, claro, muito obrigado!
Dmitry: Obrigado a todos que nos admiram e escutam! Permaneçam pagãos, permaneçam metal! Quem quiser falar com a gente - estamos sempre felizes em falar com vocês na nossa página no Facebook - http://www.facebook.com/alkonostband. Faça perguntas, deixe comentários. Até mais!



Espero que tenham gostado da entrevista com mais esta excelente banda! Em breve muito mais pra vocês, fiquem ligados!

0 Comentario "Entrevista: Alkonost (Russia)"

Postar um comentário

O texto representa a opinião do autor e não a opinião do elegiaecanto.com ou de seus editores

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Próximos Eventos

             

EC NO FACEBOOK

PARCEIROS

     

TRANSLATOR

Seguidores