-->
Contato    Equipe    O site   

Poesias: Desejo Amargo

AMOR INSANO

Desse berço choroso...
Desse ego glamuroso...
Eu vou agonizar,
Para você melancolizar
a minha apatia,
que dorme, é fria, dura
E tão somente sombria
Dessa chuva tão mórbida
Fria, que delira
Desse ego,
Dos misterios seus que
Vivi e sei viver...
Pois, na profunda melancolia....
Vou...quem sabe falecer...
De almejar a aurora doente
das tristezas em mente
do louco docente
de um amor puro docemente
que vibra, que sente
Anticonstitucionalissimamente
vou seguindo em frente
não agindo como gente
sofrendo veemente...
Como o mentiroso...que mente
Dessa palavra louca e demente
Desse ser horrendo, todo deficiente
que por completar meus labios carentes
de seus olhos contentes
de seu sorriso sorridente
Sou como os humanos que sentem
Estou absolutamente...loucamente
vivendo a vida apaticamente
Sofrendo vagarosamente...
Agonizando depressivamente
quero você para mim totalmente
completamente, inegavelmente
verossimilicamente, sensivelmente
De cabo a rabo atraente,
Vanglorio-te então, inevitavelmente
Quero morrer em teus braços desfadigadamente
Pois, suspirando apaixonadamente
assim estou;
Dessa paixão que não vem esporadicamente
É de todo o sempre,
Dos sonhos ausentes
Vou te amar logicamente
Vou enlouquecer com teu toque certamente
Para tornar-me teu,
Algum dia quem sabe; Aproximadamente
Minutuamente, Horariamente
Semanalmente, mensalmente
Anualmente, enfim,
Teu somente,
Para ser teu, basta ser eternamente...


0 Comentario "Poesias: Desejo Amargo"

Postar um comentário

O texto representa a opinião do autor e não a opinião do elegiaecanto.com ou de seus editores

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

LANÇAMENTO

Próximos Eventos

PARCEIROS

     

Seguidores

EC NO FACEBOOK